quarta-feira, 2 de outubro de 2013

O lago que transforma os animais em estátuas calcificadas


O lago Natron, no norte da Tanzânia, não é um bom habitat – a não ser, claro, para o alcolapia alcálica, um peixe que se adapta a condições extremas. Este lago, aparentemente único no mundo, tem temperaturas até os 60ºC e uma alcalinidade entre o pH 9 e o pH 10.5, tornando-o assim inabitável.

O próprio nome do lago, aliás, vem do natrão – é um mineral composto por carbonato de sódio hidratado – com um pouco de bicarbonato de sódio – que era utilizado, por exemplo, pelos egípcios, para as suas múmias. Estas condições extremas foram criadas pela cinza vulcânica acumulada pelo vale do Rift.

Uma das particularidades do lago Natron é que os animais que tentam nadar – ou têm contato com a água – acabam por morrer e ficar calcificados.

Um dia, Nick Brandt, um fotógrafo, foi responsável pelo videoclipe de Earth Song, de Michael Jackson (1995) – deixou a biodiversidade perfeita de outras regiões africanas e visitou o local. O cenário deixou-o estarrecido: dezenas de aves e morcegos calcificados.

“Tive de os fotografar, não resisti. Ninguém sabe exatamente como morreram, mas parece que a natureza perfeita e refletiva da superfície do lago os confunde, e acabam por cair lá”, explica o fotógrafo.

Na verdade, há um outro animal que consegue andar no lago, os flamingos. Mas só em ocasiões especiais e, mesmo assim, correndo um grande risco. Para além de morcegos, pássaros e os próprios flamingos, Brandt fotografou ainda águias calcificadas. Veja algumas das fotografias.

Confira:










Nenhum comentário:

Postar um comentário