sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Cientista trabalhou a vida toda no projeto Voyager e não pretende se aposentar

O engenheiro Ed Stone, 77, dedicou mais de 36 anos de sua vida ao projeto da sonda americana Voyager-1.

Quando a missão começou, ele era um jovem e promissor cientistas com duas filhas pequenas. No momento em que a nave estava passando por Saturno, as crianças estavam na faculdade. Agora que o objeto já deixou para trás o Sistema Solar, Stone é um respeitado chefe de missão que já tem netos.

Quando esteve no Brasil para falar em um congresso da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, há cerca de três meses, Stone ainda não podia bater o martelo quanto à posição da Voyager no espaço interestelar, mas ele já adiantou: isso não significa que ele vá se aposentar.

"Sim, eu dediquei muito tempo a esse projeto e foi um prazer. Mas a saída do Sistema Solar não significa que não haja mais nada por fazer. Pelo contrário, é a partir daí que teremos dados ainda mais fascinante", disse ele à Folha, por telefone.

Quando questionado sobre a confiabilidade dos dados obtidos pelos instrumentos da Voyager-1, construídos na década de 1970, o cientista afirmou que a qualidade do equipamento tem sido checada frequentemente.

"Os dados demoram a viajar até a gente, mas eles são extremamente confiáveis."

Fonte: Folha de S. Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário